Header

Kurt Loder fala com Eminem sobre o Grammy

Essa foi uma entrevista feita pelo VJ da MTV Americana Kurt Loder, que foi ao ar um dia após o Grammy, num programa especial. Nessa entrevista Eminem fala do dueto com o Elton John, da importância de prêmios na carreira dele, da sua filha, aonde ele estará daqui a 10 anos e muito mais.

Kurt Loder: Você ganhou 3 Grammys está no backstage, e você estava lá. O que você pensa quando ouve “Steely Dan”?

Eminem: (Risos)

Kurt Loder: Já ouviu isso antes?

Eminem: Ouvi quando era pequeno. Não sabia que cresceria e ia ser chamado disso. Não vim ao Grammy para colecionar troféus. Vim para causar um impacto, vim para fazer uma surpresa. E atormentar algumas pessoas.

Kurt Loder: Qual surpresa você queria fazer?

Eminem: A surpresa foi destruída. Queríamos manter em segredo que iria me apresentar com o Elton John, mas os rumores surgiram e não era mais uma surpresa. Então, o maior impacto foi ver nós dois, juntos no palco.

Kurt Loder: Como isso aconteceu, você e Elton? Você sabia que ele adorava seu álbum?

Eminem: Sim… Comecei a dar entrevistas na Inglaterra e as pessoas comentavam isso e falavam ‘O que você acha do que o Elton John falou sobre você’ e eu falava ‘Ele disse isso?’. Então li os artigos em que ele dizia que gostava do meu trabalho e isso era legal. Eu respeito Elton. Não sabia que ele era gay, não sabia nada sobre sua vida pessoal, não me importava. Mas, ele sendo gay e gostar de mim fez um impacto, pois mostrou que ele entendia quem eu era.

Kurt Loder: Como você e Elton se encontraram? Acho que foi na segunda ou uma coisa assim…

Eminem: Foi…. quando fizemos o ensaio.

Kurt Loder: Ele disse ‘Isso é que vou fazer!’?

Eminem: Não, não discutimos isso. Dissemos ‘Oi’ e agradeci por ele ter me defendido na impressa, e fomos para o ensaio. Ele tocou o piano e começou a cantar, e eu fiz minha parte.

Kurt Loder: Há alguma mensagem nisso – você e Elton, ele sendo gay, e vocês juntos? Digo, você estava tentando dizer algo com isso?

Eminem: Quando o álbum saiu – e acho que você foi a primeira pessoa a me perguntar se eu era gay – e a versão original de My Name Is … Você disse algo em referência as minhas letras nessa música, e a parte que tivemos que tirar, que aliás foi uma droga. Você perguntou e depois várias pessoas começaram a me perguntar se eu era gay. E não entendia da onde vinham essas perguntas. Eu ficava puto com isso, com as pessoas me julgando pela minha aparência, então minha primeira reação foi ‘Certo, se vocês vão me colocar num lugar sem saída, certo, odeio os gays’. Entende?

Kurt Loder: Então você faz isso pelo choque que causa?

Eminem: Minha resposta foi, ‘Fôda-se, se é isso que vocês querem que eu seja, então serei isso.’ E assim foi. Minha primeira reação é sempre dizer ‘Fôda-se. Se você acha que sou um filho da puta e essa é a sua primeira impressão de mim, assim serei.

Kurt Loder: Isso é algo que você continuará no próximo álbum? Você acha que já falou o bastante?

Eminem: Acho que só vou saber quando começar a escrever. Eu falei da minha mãe nesse álbum, disse que matei Dre. Disse muita coisa nesse álbum, e a primeira crítica que recebi foi pelas referências gays nesse álbum.

Kurt Loder: 10 anos atrás, Axl Rose do Guns N’ Roses lançou a música “Police And Niggers, Get Out Of My Way”

Eminem: Lembro.

Kurt Loder: E então Rose disse que não se referia a negros. Ele se desculpou. Mas, tipos que foi direcionado para certos tipos de pessoas.

Eminem: É totalmente diferente. Não posso falar por Axl Rose. Não sei nada dele. Mas eu sou diferente. Minha vida, o que faço está na mídia sempre. As pessoas sabem como fui criado e coisas assim. Então faço música de negros e não escondo isso, não importa o quanto eu cresça. É de onde vim, e é o que faço, e não vou negar isso. Então não é algo que uso por escolha.

Kurt Loder: Você percebe o quanto os termos que usa a se referir aos gays pode ser tão ofensivo quanto o que Axl Rose usou para se referir aos negros?

Eminem: Não.

Kurt Loder: Por quê?

Eminem: Por causa da situação que vim. Por vir de baixo, por ter certos hábitos do lugar que vim. Uso vários outros termos no álbum. Mato a mim mesmo nesse álbum, falo das pessoas gordas. Qual organização virá atrás de mim? Entende? Acho que as pessoas precisam de alguém para culpar quando já estavam cansados de Marilyn Manson. Então eles vieram a mim.

Kurt Loder: Quando você foi receber seu primeiro Grammy, você agradeceu as pessoas que viram o álbum pelo o que ele é, o que é interessante. O que você acha que esse álbum representa?

Eminem: Liberdade de expressão. Dizer o que você quiser. Expressão artística… Sei que quando sento para escrever – não importa o que sinto no momento – quero gravar logo para captar as emoções. Isso é o que eu faço, e quando a música fica pronta quero mostrá-la. É como me sinto no momento. Quando você ouve o Tupac, é diferente… Ele se contradiz. Ele pode ter uma letra anti-violência como “Keep Ya Head Up,” dizer como gosta de uma garota numa e na outra dizer o contrário. Entende? Se você ouvir o álbum do Tupac, você ouve diferentes emoções, como ele se sentia em cada momento.

Kurt Loder: Se você seguir a carreira artística, o artista não resolve essas contradições? Você está bravo com as mesmas coisas que estava antes do álbum sair?

Eminem: Não. Estou bravo com outras coisas.

Kurt Loder: É possível vender 8 milhões de álbuns e ainda ficar bravo com certas coisas?

Eminem: Sim… Claro… Digo, se você for pelo ‘Vendi muitos álbuns e agora tenho muito dinheiro, e tenho um nome reconhecido então devia estar satisfeito’ não é verdade. Até por que não é pelo dinheiro, mas pela música. Se vender 100 milhões e tivesse todo dinheiro do mundo, ainda amaria fazer o que faço. Não iria parar, não estou nisso pelo dinheiro e direi isso até o dia que morrer. Não importa o quanto de dinheiro – se eu me sair bem ou fracassar, ainda amarei o que faço. Se eu gravar em um grande estúdio ou fazer uma demo de 8 faixas, ainda amarei fazer música. É o que amo.

Kurt Loder: The Marshall Mathers LP está vindo de um lugar. Imagino se você mudou durante o ano passado. Você é uma pessoa diferente?

Eminem: Acho que sim. Acho que experimentei muita coisa o ano passado. Passei por muitas coisas na minha vida pessoal e acho que cresci, amadureci e acho que se você é um artista verdadeiro isso é o que vai te acontecer ou que deveria te acontecer. Acho que as pessoas vêem uma diferença – qual a palavra que quero? – não um eu diferente, mas um eu mais maduro.

Kurt Loder: Voltando ao Grammy, como eles te trataram? Digo, você estava lá, Christina Aguilera estava lá, Carson Daly e ‘N Sync estavam lá. Encontrou com eles no backstage?

Eminem: Não. Não me importo com isso. Estava no camarim, com meu pessoal, fazendo o que a gente faz normalmente.

Kurt Loder: Você já passou da fase ‘teen pop’? A Britney, Christina…

Eminem: Claro, ainda acho besteira, mas não estou mais bravo com ninguém ali. Acho que a principal razão pela qual eu os ataquei foi porque fui colocado como um artista daquele grupo e eu queria ter certeza que as pessoas soubessem que eu não pertencia aquilo.

Kurt Loder: Você ouviu o que o Jon Stewart disse? O cara que estava apresentando o show?

Eminem: Ouvi no caminho para cá.

Kurt Loder: Ele disse: “Vi o Eminem no Backstage, e ele é tão gay.”

Eminem: Sim… Ele não me viu no backstage. E quando ele me viu, comentei sobre isso, e ele disse (imitando o Jon Stewart) “Não te odeio cara, foi coisa do momento blá, blá, blá…” De qualquer maneira. Eu disse: “Sou seu fã cara. Não me decepcione.

Kurt Loder: Então você não saiu do banheiro com o George Michael?

Eminem: Ouvi isso também. É engraçado. Tipo, como posso ficar chateado com isso se tiro uma com todo mundo?

Kurt Loder: Você agradeceu várias pessoas no Grammy, mas não agradeceu a Kim, sua mulher. Vocês ainda estão juntos?

Eminem: Ah, eu não… – Não quero comentar isso. Mas agradeci a minha filha.

Kurt Loder: Sim…

Eminem: Agradeço a ela todo dia. Todo dia quando acordo agradeço a ela.

Kurt Loder: Agora que você tem esses Grammys, o quê fará com eles?

Eminem: O que farei com eles?

Kurt Loder: Bom, você já tinha dois. O que você fez com eles? Estão segurando portas?

Eminem: (Risos) Ano passado quando ganhei dois Grammys, fiquei com um e dei o outro para Paul, meu empresário. Ele falou:”já que você não liga para eles, posso ficar com um?” E eu disse: “Certo, eu não me importo.” Mas tenho o outro em casa que mostra tudo que conquistei, para que a Hailie veja que o pai dela não foi só mais um, entende? Então provavelmente vou colocá-los na minha estante de troféus.

Kurt Loder: É bom receber prêmios? Não é ruim certo?

Eminem: Definitivamente não é ruim. Adoro o fato de ser reconhecido pelo meu talento, por fazer o que faço, mas não me importo muito com isso. A principal razão pela qual entrei nessa carreira foi para ser aceito e reconhecido. Então se o prêmio significa respeito, é legal, vou recebê-lo, mas a coisa mais importante é ter o reconhecimento do público. A credibilidade do público é tudo para mim.

Kurt Loder: Você se preocupou com o dueto com o Elton John, pois ele é tão pop, é como se você fosse para o pop?

Eminem: Não, só queria irritar as pessoas.

Kurt Loder: Acha que conseguiu?

Eminem: Veremos amanhã, nos jornais.

Kurt Loder: O abraço estará nos jornais amanhã, e irá irritar alguns. Qual era a mensagem ali?

Eminem: Qual a mensagem? Ummm… a mensagem ali. Você diz o abraço no Elton.

Kurt Loder: E irritar todo mundo…

Eminem: A razão era o homossexualismo. E agora? Fôda-se. Diga algo de mim agora.

Kurt Loder: Você pensa onde você pode levar sua arte? Vê onde pode ir e o que quer que ela se torne?

Eminem: Não sei. Não posso dizer para onde ela está indo e para onde quero que ela vá. Quero que ela cresça comigo como uma pessoa, mas não tenho planos de como estarei daqui a cinco anos, entende? Não vejo desse jeito. Deixo acontecer, e quando algo acontece comigo vou lá e escrevo sobre isso. É nessa direção que vou, enquanto estiver nesse negócio. Não tenho planos prontos. Daqui a uns 10 anos, talvez, queria estar sentado escrevendo e produzindo sem ser para mim, sem aparecer. Tipo como Dre faz.

Comentários

Comentários

você pode gostar também

Leave a reply

Note Before Comment Form

Note After Comment Form