Header

EVERLAST

everlast

Um dos mais novos inimigos do Em é o ex-integrante do House Of Pain, Erik Schrody (Whitey Ford). Ele começou no Rhyme Syndicate, cartel do Ice T. Fez seu álbum em 1990, depois saiu e formou o House Of Pain com Danny O’Connor e o atual integrante do Limp Bizkit, Leor Dimant (DJ Lethal). Cinco anos depois, Schrody lança Whitey Ford Sings The Blues com o nome de Everlast. Em uma música do Eminem onde ele zoa Everlast, “Quitter”, Slim explica como a parada começou. “…Eu vou contar pra essas porras de fãs a verdade, o motivo porque você me zuou primeiro e eu respondi. Você disse que eu passei no Lobby e fingi que você não estava lá, porra eu tinha um show para fazer.” O motivo da briga desses dois artistas estão divididos em várias músicas diferentes.

Depois que Everlast foi insultado pelo desrespeito do Eminem, Everlast decidiu zoar também. A primeira música zoando ele se chama Ear Drums Pop do Dilated People com Everlast. Numa parte da música Everlast menciona que “…eu aponto um 38 nesses que agem Shady, você sabe que não foi você que ultrapassou o status de Peckerwood,” adicionando, “Vamos voltar pro House/ tire sua blusa/ levanta sua saia/ e mostra sua calcinha/ Para o mundo ver/ Você não consegue cantar que nem eu.” Eminem estava na turnê Anger Management Tour quando ele ouviu o insulto. Eminem bravo pra caralho decidiu zoar ele de volta com a música “I Remember”, que foi lançada no B-Side single do D-12 “Shit On You”. Nessa música ele fala de sua carreira [“…em 94 quando a senhorita Everlast era Whitey Ford, House Of Pain estava sem fama, destinados a nunca pular de novo” (referindo-se à sua música Jump Around)], sua idade [“Kid Rock e Limp Bizkit vieram e agora ninguém quer ouvir sua bunda velha cantando mais”] e até seus problemas de coração [“Eu estava lá rachando o bico quando eu ouvi no noticiário, eu queria que aquele médico te matasse”]. Eminem se censurou numa linha, cantando: “eu não tava tentando roubar sua luz, mas você é um homossexual, branco rapper Irlandês…”. Na música Em fala que já foi um fã do Everlast, cantando, “eu fui comprar sua merda/ cara, eu gostava, mais ai/ você foi com seu estilo e mudou sua merda/ agora você tá ridículo, seu sem-pinto pedaço de merda, como você pôde me zoar cuzão?”. Everlast não se ofendeu com essa música, segundo a gravadora, Tommy Boy Records. Eles disseram por parte do Everlast que “Ele (Everlast) está impressionado. Ele achou a música até engraçada…” Bom, assim ele continuou com essa batalha, respondendo a música I Remember chamada “Whitey’s Revenge”, que saiu no Napster. Everlast usa uma introdução dedicando a música para a mãe do Eminem. Na música ele fala “O verdadeiro Slim Shady pode crescer?” e sugere pros dois rappers largarem o microfone e brigarem fisicamente.

Everlast até questiona a sexualidade do Eminem. Fala também das brigas dele com Kim (esposa), cantando: “é melhor você checar o DNA de sua filha”. É claro que o Eminem não ia deixar Everlast ter a ultima palavra. Umas semanas depois Em acabou uma música, com o D12, chamada Quitter. Não era pra ser lançada essa música, Em disse. “Eu nem quero mais pressionar ele. Eu desejo o melhor pra carreira dele e pro seu coração. Se eu lançar eu não quero ser preso por matá-lo, porque ele terá outro ataque cardíaco.” Mas acabou vazando no Napster. Nessa música Slim pede pros fãs atacarem ele fisicamente, “Bata nele com galhos, tijolos, pedras, joguem coisas nele, fodam ele, cospem nele, tratem ele como um homossexual, dêem tapas nele. Façam isso por mim, pro Fred, faz pro Limp, pelo Rock, faz pelo rap, pro Kid, faz pro Ice-T, façam só por fazer. Fôda-se, ele é um viado. Ele não vai te bater de volta ele não é nada.” Eminem responde também a sugestão em Whitey’s Revenge pra eles brigarem fisicamente, “Fôda-se, gordão, deixa o microfone, vamos brigar…”

Comentários

Comentários

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.