D12

d12

D12, ou The Dirty Dozen, é um grupo de hip hop Americano de Detroit, Michigan. D12 foi formado em 1996, e alcançou o sucesso após o Eminem ter conseguido a fama internacional. D12 lançou o álbum “Devils Night” em 2001 e “D12 World” em 2004, gerando vários sucessos como “Fight Music,” “Purple Pills,” “My Band,” “How Come” e “Shit On You” ao longo desse período. Desde 2006, o hiato de Eminem e a morte do membro Proof resultou em eles estarem menos ativos nos anos seguintes.

Início da carreira (1996-98)

O pessoal do D12 se conheceu no Hip Hop Shop em Detroit, um lugar onde MC’s de todos os tipos se encontravam e tinham a esperança de poder mandar uma rima no “Saturday Open Mic Sessions,” campeonato de freestyle da loja. Ainda não conhecido, Eminem chegou para um produtor local, Kon Artis, e pediu para ele arranjar umas batidas para o lançamento de seu primeiro CD, “Infinite.” Enquanto isso, o pedido do “menino doido branco” estava chegando aos ouvidos de um dos mais notórios MC’s de Detroit, o MC Proof. Os dois trocaram uma idéia e logo ganharam respeito um do outro. A maioria dos membros do D12 já tinham conseguido um lugar no segmento underground do hip hop com suas paradas solos.

“Nós éramos todos batalhadores” disse Proof, “então achamos que nós formaríamos um grupo ideal e seríamos os melhores.” Instantaneamente, procurando uma coisa em comum entre eles, uniram forças para formar o D12 (seis membros X duas personalidades = D12). “Nós fizemos um pacto uns anos atrás…” disse o membro mais conhecido do grupo, Eminem, “…o primeiro de nós que conseguisse uma gravadora voltaria para buscar o resto.” “Devils Night” é resultado da lealdade do grupo. Enquanto todos os membros fizeram sua estréia em “Under The Influence,” no “The Marshall Mathers LP.”

A fim de tornar-se uma dúzia, os seis membros na época decidiram criar um ego alternativo. O Proof criou Dirty Harry, Bizarre foi Peter S. Bizarre, Kuniva foi Hannz G. (que depois virou Rondell Beene), Kon Artis criou Mr. Porter, Bugz foi Robert Beck e Eminem criou o famoso personagem Slim Shady. Um membro original do D12, Eye Kyu, não está atualmente mais com o Dirty Dozen, mas ele faz parte dos álbuns “Infinite” e “The Underground EP.”

558815077

Em 1997, eles lançaram seu primeiro álbum, ”The Underground EP,” que foi gravado entre 1996 e 1997. Em 1997 e até 1998, os membros começaram a estabelecer a reputação localmente. Bizarre foi nomeado de “Flava Of The Week” pelo Inner City Entertainment e logo lançou um álbum chamado “Attack Of The Weirdos.” Junto com o Eminem, Rah Digga e Young Zee, ele tornou-se membro honorário do The Outsidaz. Proof ganhou uma competição de freestyle feito pela revista The Source. Em 1999, Bugz lançou um EP intitulado “These Streets EP,” e fez várias aparições em músicas de outros rappers.

d12-the-underground-ep-original

D12 passou por muitas mudanças durante os primeiros dias, mesmo tornando-se temporariamente inativo quando Eminem foi ouvido pelo Dr. Dre e assim deixando o grupo para seguir carreira solo. Na época do primeiro contrato do Eminem com a gravadora, Proof tentou trazer nova vida ao D12. Ele conseguiu recrutar a dupla de hip hop de Detroit, Da Brigade, que era composto por Kuniva, um MC local e Denaun Porter, um amigo de longa data do Eminem e do Proof. Na época, Porter era o produtor do grupo e um tempo depois produziu o primeiro álbum do Eminem “Infinite,” mas foi persuadido por seu parceiro Kuniva para acompanhá-lo no grupo como um artista. Logo depois, o grupo recebeu Bugz e precisavam de mais um membro, Bugz apresentou o seu amigo de longa data Swift, que na época era membro da dupla de rap Da Rabeez.

Morte do Bugz e o retorno do Eminem (1999)

Antes de um show em Grand Rapids, Michigan, parte da turnê do Eminem, Bugz, seu amigo e a prima de seu amigo estavam fazendo um piquenique no Belle Isle Park, em Detroit, e logo iniciou-se uma discussão com um homem sobre uma arma d’água. O homem havia espirrado água na prima do amigo do Bugz, deixando-a furiosa e fazendo com que ela fosse lá tirar satisfação. A intriga se transformou em uma luta e o Bugz interviu na briga mais por causa de seu amigo. O amigo do homem com a arma d’água, foi até seu Ford Expedition e pegou um rifle, e disparou em direção ao Bugz, que estava olhando para outro lado. Bugz foi atingido três vezes de perto, uma no pescoço e uma vez no peito. Os homens depois passaram por cima do Bugz em seu Expedition. Uma ambulância foi chamada ao local, mas devido ao tráfego na ponte para Belle Isle, levou trinta minutos para chegarem até a ilha. Bugz foi levado às pressas para um hospital próximo, onde ele não conseguiu ser socorrido a tempo. Ele tinha acabado de fazer 21 anos. A morte prematura do Bugz só reforçou a determinação dos membros do Dirty Dozen. “Isso faz você ver a vida mais séria,” disse Proof. “Neste momento, estamos tentando reunir tudo o que ele gravou [para] fazer um LP.” The Dirty Dozen, que estava trabalhando para laçarem o seu EP, agora queriam lançar material do Bugz em homenagem. O ataque, que ocorreu no dia 21 de maio de 1999, foi capturado em vídeo e foi ao ar mais tarde naquele dia nos noticiários locais.

Os membros do grupo ficaram abalados com a tragédia, ficando um clima ruim entre eles. Um dos últimos pedidos do Bugz tinha sido de colocar o Swift no grupo. Após a morte do Bugz, Eminem se ofereceu como substituto para cumprir futuras obrigações do grupo. Isto levou a Eminem, eventualmente, voltando ao grupo.

No momento de sua morte, Bugz estava trabalhando em seu primeiro álbum solo, o “Mr. Obnoxious,” que foi lançado postumamente em fevereiro de 2000. D12 gravou seu primeiro álbum, “Devils Night,” em sua memória. O terceiro álbum do Eminem, “The Marshall Mathers LP,” também foi dedicado a ele. A faixa “Good Die Young,” lançado no segundo álbum do D12, “D12 World,” é sobre o Bugz. O álbum também inclui uma música intitulada “Bugz ’97,” que é uma gravação de 1997 originalmente da música “Desperados.”

Devils Night e D12 World (2000-05)

Seu álbum de estréia, “Devils Night,” referindo-se a tradição de colocar fogo nos edifícios desocupados na noite anterior do Halloween, foi lançado em junho de 2001. O álbum estreou na primeira posição nos EUA e na segunda posição nas paradas do Reino Unido, atingindo também o topo das paradas canadenses. “Devils Night” vendeu quatro milhões de álbuns em todo o mundo e dois milhões nos EUA.

O mundo teve uma dose oficial do D12 com o lançamento de seu primeiro single, “Shit On You,” um som bem sinistro, produzido pelo DJ Head. “D12 é um pedaço moderno da herança musical de Motor City,” disse Proof. “Nós fazemos o melhor possível para expor a cultura da cidade, para ter certeza de que Detroit seja reconhecida e para lembrarmos dos velhos tempos de Motown.”

devilsnight

Em agosto de 2001, D12 e Esham foram expulsos do Warped Tour depois que os membros do grupo supostamente agrediram o Esham fisicamente por causa da uma letra sua na música “Chemical Imbalance,” que continha uma referência à filha de Eminem. Eminem não estava presente durante a turnê.

O segundo álbum do grupo foi “D12 World” lançado dia 27 de abril de 2004, com a produção do Dr. Dre, Eminem, Mr. Porter e Kanye West, e contou com participações do Obie Trice na faixa “Loyalty,” e B-Real do Cypress Hill na faixa “American Psycho II.” O álbum estreou no topo das paradas de álbuns nos EUA, Reino Unido e Austrália, e na segunda posição na Alemanha – vendendo mais de meio milhão de álbuns em sua primeira semana de lançamento, só nos EUA. “My Band,” o primeiro single do álbum, também foi bem sucedido alcançando a primeira posição na Austrália, Nova Zelândia e na paradas “rhythmic top forty” nos EUA, o top cinco no Reino Unido e na Alemanha, e nos dez melhores na Billboard Hot 100.

d12world

O grupo aparece no filme “The Longest Yard,” de 2005, creditado como “Os Condenados do Basquete”. Para o filme, o grupo gravou a música “My Ballz.” Apesar do Eminem ter sido o único membro do D12 que não apareceu no filme, ele cantou o refrão e um verso em “My Ballz.”

O grupo foi muitas vezes ofuscado pelo enorme sucesso do Eminem, e eles fizeram turnê sem ele durante o segundo álbum, enquanto Eminem estava ocupado gravando “Encore.” Embora sombreado pelo sucesso do Eminem, os membros Bizarre e Proof conseguiram prevalecer moderadamente com suas carreiras solo. Bizarre lançou “Hannicap Circus” e Proof “Searching For Jerry Garcia” em 2005. D12 (sem o Eminem) apareceu no álbum de 2002 do Tech N9ne “Absolute Power” na faixa “She-Devil.” Eles também decidiram que Eminem não seria tão proeminente em seu terceiro álbum, que continua evidente, mesmo após a morte do Proof. Aparentemente, o terceiro álbum está 70% concluído sem nenhum envolvimento do Eminem. No entanto, em junho de 2009, Eminem confirmou que ele também estava trabalhando duro no terceiro álbum de estúdio do grupo em um anúncio feito no Rap City durante uma entrevista com Eminem e Denaun Porter. O grupo gravou uma música para o álbum “Recovery” do Eminem intitulado “Hit Me With Your Best Shot,” mas não foi incluído no álbum oficial.

Morte do Proof e prisão do Swift (2006)

04

No dia 11 de abril de 2006, Proof foi baleado três vezes por Mario Etheridge, duas vezes nas costas e uma vez na cabeça, após uma briga que se iniciou durante uma partida de bilhar no CCC Club em 8 Mile Road, em Detroit, Michigan. Um jogo de bilhar entre Proof e Keith Bender se transformou em um argumento, em seguida, se transformou em uma briga física. Etheridge, que era primo do Bender, disparou um tiro de advertência no ar. Houveram muitos relatos conflitantes sobre os papéis de Proof e Keith Bender no tiroteio, mas foi relatado que Proof, em seguida, atirou no Bender na cabeça durante a briga. Bender não morreu imediatamente pelo tiro, mas morreu uma semana depois devidos aos ferimentos. Em resposta ao Proof supostamente ter atirado no Bender, Etheridge, em seguida, atirou três vezes no Proof, duas vezes nas costas e uma vez na cabeça, matando-o no local. No momento de sua morte, o teor de álcool no sangue do Proof foi de 0,32, quatro vezes o permitido para dirigir. Uma autópsia revelou que ele não tinha nenhuma droga ilegal em seu organismo. O advogado do Proof, David Gorosh, acusou a polícia e a mídia de serem “irresponsáveis” por sugerirem que seu cliente disparou os primeiros tiros sem ter nenhuma prova concreta. Algumas semanas após a morte de ambos os homens, a família de Bender começou um processo de morte por negligência contra o património do Proof. As autoridades determinaram que Etheridge estava agindo legalmente em defesa do outro; No entanto, ele foi considerado culpado por levar uma arma de fogo ilegal e descarregá-la dentro de um edifício.

No dia 19 de abril de 2006, foi feito o velório do Proof no Fellowship Chapel em Detroit, lotando o local com 2,660 pessoas, incluindo seu amigo de longa data Eminem, Royce Da 5’9”, 50 Cent e muitas pessoas do lado de fora de luto. Proof então foi enterrado no Woodlawn Cemetery.

Sete meses após a morte do Proof, seu amigo próximo Reginald “Mudd” Moore, que estava com ele na balada onde ele foi morto, concedeu uma entrevista exclusiva à revista XXL, onde ele contou uma história diferente do que aconteceu naquela noite. Na versão de Mudd sobre os eventos, Proof não é retratado como o instigador nem como o assassino a sangue frio. De acordo com Mudd, a noite começou com ele, o Proof e dois de seus amigos passando de bar em bar. Eles chegaram na balada CCC por volta das 03:30, onde uma briga entre Keith Bender e Proof se escalou durante uma partida de bilhar. O segurança Mario Etheridge, em seguida, pegou a arma e disparou dois tiros no ar para separar a briga, mas ao invés disso, os tiros causaram pânico. Mudd afirmou que o Proof, intoxicado, o empurrou de seu caminho, pegou sua arma e disparou uma vez no ar. Keith Bender, em seguida, veio por trás e começou a atacar o Proof, tentando tirar a arma de sua mão. Etheridge, em seguida, se aproximou e começou a atirar em direção ao Proof e Bender, matando os dois.

Em 2008, a cantora/compositora galês Jem dedicou a música “You Will Make It“ em homenagem ao Proof (listado com seu nome de nascimento DeShaun Holton) em seu segundo álbum “Down to Earth.” No encarte, ela disse: “Para sua família e amigos e para todos aqueles que passaram pela tragédia da perda repentina.”

Swift foi preso em Novi, Michigan, no dia 21 de abril de 2006, por não comparecer ao tribunal no dia. Isto foi devido à sua presença como um carregador de caixão honorário no velório do Proof. Já em liberdade condicional por um delito de dirigir embriagado, o qual ele havia ficado dois dias presos em outubro de 2005, ele foi condenado pelo juiz distrital Brian MacKenzie a 93 dias na prisão por violar os termos da liberdade condicional. Isto resultou no adiamento da gravação do terceiro álbum do D12. Depois de sua libertação, foi retomado o trabalho no álbum.

Mixtapes e hiato (2007-13)

No dia 21 de maio de 2008, após quatro anos de inatividade e o falecimento do Proof, D12 lançou um novo mixtape, “Return Of The Dozen Vol. 1.” O mixtape foi feito para colocar o D12 de volta em seus pés, em preparação para o possível conteúdo novo, e não contou com a participação do Eminem (que estava trabalhando em seu álbum solo, “Relapse”). O mixtape conta com várias participações como Royce Da 5’9″ e King Gordy. Algumas faixas foram apresentações solo dos membros do D12, como “If You Want It” do Kuniva, semelhante a como o Eminem fez na faixa “Girls” no álbum “Devils Night.”

D12 lançou outro mixtape intitulado “Return Of The Dozen Vol. 2” no dia 12 de abril de 2011, que contou com Fuzz Scoota. Fuzz Scoota foi um dos membros originais do D12, mas deixou o grupo em 1999. Depois ele se reuniu ao grupo no dia 7 de abril de 2011. Eminem fez parte de apenas apenas uma faixa no mixtape, apesar de não ter aparecido em nenhuma faixa no mixtape anterior. Devido ao Eminem estar em turnê com seu álbum “Recovery” e por causa do Mr. Porter ser seu hypeman, apenas quatro membros estavam ativos no D12 no momento (Bizarre, Kuniva, Fuzz e Swift). Os outros, embora não estando ativos no momento, continuam sendo membros do D12. Em um vídeo postado no YouTube do Eminem e Royce Da 5’9″ no dia 13 de junho de 2011, Eminem afirmou que ele estava de volta ao estúdio com o D12 depois de não ter sido um membro muito ativo durante quase três anos. D12 se apresentou no Kanrocksas Music Festival no dia 5 de agosto de 2011.

A faixa, “Outro,” do “Return Of The Dozen Vol. 2,” ganhou um vídeo clipe e foi lançado no dia 1 de setembro de 2011. O grupo também afirmou intenções para comemorar o 10º aniversário do lançamento do álbum “Devils Night,” embora a comemoração tenha sido na noite real do “Devil’s Night” no dia 30 de outubro no St. Andrew’s Hall, em Detroit, Michigan, mesmo que o álbum tenha sido lançado meses antes, no dia 19 de junho de 2001.

Em 2012, Bizarre deixou o grupo, citando diferenças criativas. Nesse mesmo ano, no dia 24 de março, Mr. Porter anunciou que ele havia deixado o D12 através de uma série de mensagens no Twitter. Nos posts no Twitter, ele disse que queria se concentrar em sua carreira solo, mas esclareceu que não tinha nenhuma animosidade com os outros membros do grupo. O grupo agora tem apenas quatro membros.

Enquanto promovia o seu mixtape mais recente, Kuniva foi entrevistado em agosto de 2012 sobre o status do grupo. Ele respondeu que “não acabou, ainda estamos chegando.” Ele depois afirmou que o D12 tinha voltado ao estúdio como um todo. O ex membro do D12, Mr. Porter, foi perguntado no Twitter no dia 26 de janeiro de 2013 sobre um possível novo álbum do D12. Ele respondeu “Não vai acontecer bro, desculpa,“ esclarecendo que ele não iria aparecer no álbum.

Shady XV e The Devil’s Night Mixtape (2014-presente)

Em Janeiro de 2014, Mark Bass dos Bass Brothers confirmou que o D12 estava gravando no F.B.T. studio e ele estava mixando o seu material gravado. Ele também confirmou que Eminem faria parte de três músicas que já estavam concluídas. Em fevereiro de 2014, Bizarre confirmou que ele estava de volta no grupo e que o D12 iria lançar seu terceiro álbum de estúdio em 2014.

No dia 25 de agosto de 2014, um comunicado de imprensa no site oficial do Eminem revelou que o D12 faria parte do álbum de compilação da gravadora, intitulado “Shady XV.” O álbum, lançado dia 24 de novembro de 2014, contou com um disco com os melhores hits e outro disco com material novo dos artistas da Shady Records, incluindo o D12. A música nova do D12 foi intitulada “Bane” e foi produzido pelo membro Mr. Porter e não contou com a participação do Eminem, nem do Fuzz Scoota.

No dia 18 de agosto de 2015, o D12 confirmou no Tim Westwood TV que eles já gravaram uma grande quantidade de músicas para o álbum e vai lançá-lo “quando for a hora certa.” No dia 1 de outubro de 2015, foi anunciado que o D12 lançaria seu novo mixtape “The Devil’s Night Mixtape” no dia 30 de outubro de 2015 e contaria com Lazarus, Bizarre, Swifty McVay e Kuniva. O mixtape foi apresentado pelo DJ Whoo Kid.

No começo de agosto de 2016, o membro do D12, Swifty Mcvay, postou um vídeo em seu Facebook revelando algumas novidades. Ele confirmou que um novo álbum do D12 está a caminho e o mais importante de todos, o Eminem fará parte.

© COPYRIGHT 2016 - EMINEM BRASIL, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.